Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ponte Instantânea

… que prometia ser mais segura.

Ponte Instantânea

… que prometia ser mais segura.

Rainha da Soul

Abril 01, 2021

Aretha Franklin " Do Right Woman, Do Right Man", 1967 

Aretha Franklin | "Respect", 1967 | Canção que se transformou num hino dos direitos da mulher

Aretha Franklin cantou "Precious Lord" durante o serviço fúnebre de Luther King, em 1968

Qual é o poder de uma obra de arte?

Abril 01, 2021

Aretha Franklin's Memphis Home as the New Graceland - Bloomberg

Casa onde nasceu Aretha Franklin em Memphis, no Tennessee. Os habitantes locais gostariam que fosse preservada como património cultural.

Fonte da foto: Karen Pulfer Focht/AP 

 "Respiram dimensão transcontemporânea, persistem como objectos vivos e, nessa sua activa vivencialidade, falam-nos de realidades distintas e distantes, de sucessos e misérias, de linguagens estilísticas, impactos culturais e variados acolhimentos. (...) O poder de uma obra de arte (que sempre se manterá, enquanto ela permanecer connosco) traz também o reflexo da denúncia da opressão. (...) Mas a este poder imenso de sedução alia-se, também, a sua fragilidade matérica: pois, como tudo o que possa incomodar em épocas de trevas, o apelo aos esconjuramentos e o clamor pela radicalidade destrutiva traz-nos a prática do iconoclasmo (caso do célebre fresco de Júlio Pomar vandalizado no Cinema Batalha no Porto). É urgente desmontar o argumentário de quem advoga nos nossos dias a destruição de monumentos, esculturas e obras de arte apregoando ideias devalidade facilmente contestáveis, sejam elas religiosas, políticas, estéticas, morais ou outras."

Texto de Vitor Serrão, no jornal Público de Sexta-feira, 12 de Março de 2021

Júlio Pomar vai refazer os frescos do Cinema Batalha destruídos pela PIDE -  Portal de notícias do Porto. Ponto.

"Atinta da censura salazarista apagou dois frescos do pintor Júlio Pomar da recente memória da cidade do Porto. As obras, que nasceram nas paredes do edifício do Cinema Batalha, em fase final de construção, nos anos de 1946 e de 1947, desapareceram poucos meses depois da inauguração do equipamento."

Fonte do texto: Jornal de Notícias, de 23 Dezembro 2005

Júlio Pomar disponível para refazer murais do cinema Batalha | Artes |  PÚBLICO

Fresco da autoria do pintor Júlio Pomar, 1947

Fonte da foto: Jornal do Público, em 7 de Fevereiro de 2017

Júlio Pomar recupera frescos do Cinema Batalha.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub